quarta-feira, 19 de outubro de 2011

Apenas interessado...

apesar de ainda faltar algum tempo para a A Sul de Nenhum Norte #4, onde, com a generosa autorização dos editores, voltarei a participar, deixo aqui um aperitivo, um poema que, não tendo entrado na selecção que será publicada, foi escrito pela mesma altura.

Apenas interessado

Apenas interessado nos sentimentos dionisíacos
(definição: aqueles sentimentos capazes de destruir
a ordem monótona e modorrenta das horas
)
saio de casa. Atento.

A solidão explica-se nesse momento,
altera-se nesse sentimento dionisíaco. Explica-se
na necessidade espontânea de sair____de cena
a festa, a cidade, o mundo? -
para melhor respirar as manifestações da
transgressão. E melhor__________ as apreciar.
Altera-se na comunhão que sinto com
tais acólitos dos sentimentos arrebatadores
____________que nenhuma razão pode conter.

Por vezes, sinto dever participar
brevemente______ .
como servidor das acções devidas
mas tantas vezes receadas pelo
império da ordem, padrão e norma.

Nessas alturas sinto que tudo vale
e tudo é permitido. Como se
a solidão fosse o consulado
do arrebatamento e do entusiasmo
disponível, de portas abertas
a todos os cidadãos dionísiacos
buscando nacionalidade.

Nessas alturas, até à margem da
consciência dessas pessoas prenhes
de sentimentos dionisíacos, tudo
está legitimado para os ajudar:
empurrá-los, enganá-los, drogá-los
o que for necessário para esse último
passo da gestação efusiva, em que
à luz se dá a impensável afronta
à organização adulta do mundo.

Nessas alturas, confirma-se o paradoxo
e sinto-me o mais solitário dos seres
____________ ____________distante
dessas experiências, mas tomando na
minha solidão, os seus artistas.

Sem comentários:

Enviar um comentário